Vila Torres Digital

Comunidade da Vila Torres recebe escola com ensino em tempo integral

A entrega faz parte das comemorações pelo aniversário de 323 anos de Curitiba.

| Notícias - 16/03/2016 19:51

O prefeito Gustavo Fruet inaugurou na tarde desta segunda-feira (14) a Escola Municipal Integral Noely Simone de Avila, no Prado Velho. A escola é a 185ª da rede e tem capacidade para atender a 175 estudantes do ensino fundamental, em período integral, das 8h às 17 horas. Beneficiará crianças da região da Vila Torres com a oferta de ensino regular, alimentação e atividades desenvolvidas nas práticas artísticas, de acompanhamento pedagógico, movimento, meio ambiente, ciências e tecnologias. A entrega faz parte das comemorações pelo aniversário de 323 anos de Curitiba.

Com o novo equipamento, a prefeitura fortalece toda a rede de serviços da região, já reforçada com a abertura recente da Unidade de Saúde Capanema e as obras do CMEI Vila Torres, unidade abandonada na gestão anterior. “Com a educação em tempo integral nesta escola, estamos reforçando a presença da prefeitura na transformação da vida das crianças que, a partir da educação, poderão ter um futuro muito melhor”, disse Fruet. Para a secretária municipal de Educação, Roberlayne Borges Roballo, a unidade complementa serviços públicos necessários para a região. “Vamos garantir processos mais equânimes para essa região, que precisa de muita atenção do município”, disse.

A nova escola deixou a aluna do 4º ano Ellysa Fernandes, de 8 anos, bastante animada. Apesar de estar em um novo ambiente, a estudante vai conviver com os colegas da antiga escola. “Adoro ficar na escola o dia inteiro porque gosto de estudar geografia e matemática”, disse.

O prefeito Gustavo Fruet inaugurou na tarde desta segunda-feira (14) a Escola Municipal Integral Noely Simone de Avila, no Prado Velho. Foto: Everson Bressan/SMCS

O prefeito Gustavo Fruet inaugurou na tarde desta segunda-feira (14) a Escola Municipal Integral Noely Simone de Avila, no Prado Velho. Foto: Everson Bressan/SMCS

Recuperação

O imóvel onde a escola funciona foi construído em 1991 e já serviu para diferentes propostas de atendimento de crianças em período de contraturno escolar. Até o ano passado, o prédio funcionou como Unidade de Educação Integral (UEI) da Escola Municipal Vila Torres, distante algumas quadras da escola e usada como alternativa para ampliar a permanência dos estudantes da região em atividades educacionais. Porém, o deslocamento de uma unidade à outra durante o intervalo das atividades influenciava na frequência das crianças.

Transformada em escola em tempo integral, a unidade reúne agora ensino regular e as oficinas com práticas complementares em um mesmo espaço. “A expectativa é de garantirmos a frequência e a qualidade no atendimento”, explica a chefe do Núcleo Regional de Ensino Matriz, Cláudia Mundt. “Por se tratar de um território vulnerável, as crianças não têm muitas opções no bairro. Com o ensino integral, conseguimos que parte desses meninos e meninas tenham opções de atividades que lhes dê formação, desenvolvimento e qualidade de vida”, disse.

A escola tem oito salas de aula, laboratório de informática, biblioteca, banheiros acessíveis, sala multiuso e refeitório onde os estudantes tomam o café da manhã, almoço e lanche da tarde. O espaço foi reorganizado a partir de uma nova proposta pedagógica reestruturada pela Secretaria Municipal da Educação para contribuir com o processo de ensino e aprendizagem dos estudantes, além de sua formação plena como cidadão. O projeto educativo pedagógico considera o tempo e o espaço do estudante ao longo do dia na escola e usa metodologias distintas para ampliar as possibilidades de ensino a partir do trabalho coletivo.

Estratégia

Duas importantes ações da Secretaria Municipal da Educação são desenvolvidas no local, como parte das estratégias para vencer a alta vulnerabilidade social dos estudantes. O programa Comunidade Escola, que mantém o equipamento aberto aos fins de semana com a oferta gratuita de atividades esportivas, recreativas e culturais para pessoas de todas as idades; e o projeto Equidade, que oferece suporte à unidade, como reforço escolar, incentivo à leitura, investimento na ampliação cultural dos estudantes com a participação em passeios e apresentações culturais e ações constantes para levar as famílias a se envolverem e participarem das dinâmicas na escola.

O diretor da unidade, Altamir Ramlov, recebeu a comunidade que acompanhou a cerimônia de inauguração e ressaltou a importância do atendimento em período integral aos estudantes da região. “Estamos assegurando o direito à educação destes estudantes e dando segurança para que possam se desenvolver de forma completa, ao mesmo tempo colaborando para que os pais possam se dedicar às atividades de sustento da família”, disse. Desenhos e trabalhos produzidos pelos alunos nas primeiras semanas de aula – as atividades iniciaram em 18 de fevereiro – foram expostos para que a comunidade conhecesse o trabalho pedagógico.

A escola homenageia com o nome a professora e pedagoga Noely Simone de Avila, formada em Letras e Pedagogia, com especialização em Educação Especial e Psicopedagogia. Noely iniciou seu trabalho na rede municipal da educação em 1994 e permaneceu no magistério municipal por 25 anos.

Estiveram presentes na cerimônia de inauguração o administrador regional da Matriz, Maurício Figueiredo Lima Neto, os vereadores Paulo Salamuni, Felipe Braga Côrtes, Pedro Paulo, o procurador de Justiça do Ministério Público Saint Clair Honorato dos Santos, além de chefes de núcleos da Educação e lideranças comunitárias.

(Via Prefeitura de Curitiba)

Realização: